segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Agroglifos em Ipuaçu: Comprovar o quê?

São várias teorias, explicações, sensações, espaço e tempo que mostra o quanto o ser humano está longe de ter uma informação concreta sobre um dos maiores mistérios da ufologia - os agroglifos. Aquelas marcas que aparecem nas lavouras de trigo e cereais pelo mundo afora e no Brasil a autenticidade só comprovada em Ipuaçu, Santa Catarina.
Como desvendar o mistério?

Qual a fórmula para encontrar ou identificar os autores?
Como vigiar para resolver esse mistério?

Em 2008,quando o assunto ficou em evidência no oeste catarinense, com as estranhas marcas, os trigais amassados sem que quase ninguém soubesse o que estava ocorrendo, as investigaçes deram lugar a busca por respostas que ninguém tem. A ufologia trata o assunto com respeito, com maturidade e principalmente orientando a comunidade a sempre questionar quem quer que seja para o fato de que pseudo autores possam ser identificados.

De que forma os círculos surgem? Eles simplesmente estão ali, aparecem num piscar de olhos, ou menos que isso, sem que até hoje no Brasil, mais especificamente em Ipuaçu ninguém pudesse registrar o fenômeno no momento de sua execução.
As más línguas dão conta de que foram pessoas as responsáveis pela criação, mas até agora ninguém se identificou como autor dessas obras, que passaram a ser consideradas autênticas por parte de ufólogos, pesquisadores e cientistas centrados no fato de que o fenômeno não tem explicação humana.

Quem teve a oportunidade de visitar, estar no interior de alguma das formações pode dar suas explicações e entender que o homem não é o único ser vivente neste vasto universo. Os agroglifos representam um tipo de ferramenta, uma mensagem codificada que pode ser analisada por quem quer que seja. Cada um pode tirar suas próprias conclusões, mas daí afirmar que não tem a mão de fora, pelos meios que sequer conhecemos, ou pelo menos que tipo de energia foi utilizada para confeccionar as imagens nas plantações de Ipuaçu e no resto do mundo, à partir da Inglaterra há mais de três décadas.

Você já se perguntou onde estava que não foi a Ipuaçu para tentar entender o mistério?

Nada impede quem quer que seja para ir até o local, desde que consciente das condições e de que as áreas tem seus proprietários e que sempre a polícia deve ser comunicada para averiguar os fatos.

E de resto sempre alguém questiona: algo novo sobre Ipuaçu ou os agroglifos?
Resposta: Sim. Basta mudar conceitos, saber que alguém ou algo que não é deste planeta e que ora mostra numa linguagem singular forma exata, sem agredir nada ou ninguém, nem mesmo as plantas, que recebem um toque sutil em sua estrutura e permanecem ali prontas para serem analisadas por quem quer que seja.
Raciocínio lógico, o ser humano tenta deixar passar despercebida essa realidade de que os sinais são evidências da presença extraterrestre no Planeta Terra.

Se houvéssemos somente nós neste universo imenso, já teríamos sucumbido diante da ganância e da mortífera devastação que as armas produzidas neste planeta fazem não só com a humanidade, mas também com os vegetais, água, ar, etc...
Basta uma pequena reflexão para querer mudar, e o tempo urge, quem sabe amanhã não exista mais tempo, e digo mais: "Eles", esses "Seres" que nos apresentam essas formações tem plena consciência do local e o do porque escolheram tal região para realizar esse trabalho. Algo de especial, algo remoto, alguma situação que nos reserva para o futuro da humanidade e do planeta pode estar ligada aos locais onde os agroglifos tem sido referência.

Ipuaçu é um local diferenciado no Brasil e no Mundo. Devemos começar a aprender e entender que estamos próximos de um local privilegiado no nosso Planeta, e oxalá vivamos para um efetivo encontro com seus autores um dia.

Aí surge aquela perguntinha: Porque os Et's não se apresentam?
Muito fácil responder: seriam capturados e aprisionados, submetidos a uma série de terrores que as autoridades deste mundo fariam em nome da segurança Mundial. Se esses visitantes quisessem nosso mal já teriam nos transformado em pó. Acredito na posição de que um dia sim, possamos viver em harmonia com nossos vizinhos e habitantes distantes desta galáxia, mas vai demorar, pois enquanto a humanidade que governa este planeta conquistar tudo a base de força nós ficamos nessa posição de levar a informação e a mensagem de que somos visitados e devemos ter outros moradores habitando tanto o interior como a crosta planetária, mas que não se identificam como tal para evitar essa situação extrema.
Podemos afirmar que os agroglifos que surgiram em Ipuaçu são reais e não foram feitos pelo ser humano.