quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Dia 03/12 tem alinhamento planetário e Jesus não nasceu no natal

Antes de mais nada quero dizer que não acredito nas possíveis catástrofes planetárias e o fim do mundo previsto para dezembro de 2012. 
Não quero também entrar em conflito com crenças, religião ou misticismo. Acredito sim que individualmente o homem/mulher deve dar mais atenção à própria evolução. Não me refiro a tecnologia e sim um efetivo contato com seu próprio EU. 
Acredito que não estamos e jamais estivemos sós neste planeta e que temos nos últimos tempos tido a atenção redobrada dos nossos 'visitantes' ou 'irmãos das estrelas' devido ao que está ocorrendo em nosso meio.
Reflita sobre tudo e acredite: "Vivemos uma época de ouro, presenciamos fatos extraordinários e tomara que um dia possamos conviver harmoniosamente com seres extraterrestres ou alienígenas que não tem intenção de nos causar pânico e medo. Querem compartilhar experiências e nos ensinar como ser um povo de plena PAZ.
Se Jesus está novamente para nascer, como ocorre todos os anos, deixe esse 'Filho do Pai", talvez com outro nome agir e mostrar que nem tudo está perdido e muitos belos exemplos de ternura e amor ainda se fazem presentes em todos os cantos do mundo.
Se pudesse acabaria com todas as guerras, formas terríveis de conquista através de matanças em batalhas que só aumentam a dor.
Como não ter esperança em quem vem de longe, longe para nossos olhos com distâncias inimagináveis percorridas para nos mostrar que não somos os únicos habitantes do universo.
Que a vida se mostre renovada neste fim de ano.

Um detalhe: tudo que escrevo e falo tenho convicção por experiências, buscas e um pouco de conhecimento e um dia quem dará a prova disso tudo serão 'eles' mesmo. 
O fato de que existe sim vida fora da terra, existem discos voadores e existem os tripulantes dessas naves que aguardam nossa posição de aceitar, de se aproximar, mesmo que em pensamento para quem sabe um dia efetivar o contato tão falado e esperado.Cada um já vem com essa verdade gravada em seu ser,  mas acaba esquecendo a medida em que os anos vão passando e se adaptando as normas que regem o planeta e as verdades que nos mostram, isso desde o que aprendemos com nossos pais e familiares e depois na escola e no que buscamos para nossa própria vida a seguir os rumos e profissionalismo nesta vida, mas não devemos esquecer nossa origem. Viemos de onde e para onde vamos?

É mais um ano que chega ao fim, ou será que estamos ainda em 2006 ou 2005? 

Autoridade máxima da igreja Católica, Papa Bento XVI, em seu novo  livro fala do nascimento de Cristo e da controvérsia quanto a data do nascimento de Jesus e outros fatos bíblicos.

O livro sobre a infância de Jesus, o terceiro de sua autoria com relatos da vida de Cristo. O sumo pontífice optou seguir de forma fiel as informações dos quatro Evangelhos, deixando de fora elementos incorporados pela iconografia católica, como a presença de animais no local de nascimento.  A data do nascimento de Cristo ocorreu 6 ou 7 anos antes do que foi escrito, será que é uma das muitas verdades ocultas de que até nosso calendário foi modificado por erro ou falha na época.  

Se tiver um tempinho confira a matéria a seguir:


Papa diz que Jesus não nasceu no dia de Natal

Por Sérgio Soares
Cristo nasceu anos antes do que sempre se disse, segundo o papa Bento XVI. Afinal onde estava o menino a 25 de Dezembro?



“Naquele tempo César Augusto emitiu um édito para que se recenseasse todo o império. Todos se iam registar, cada um na sua cidade. José, que era descendente de David, teve de ir para Belém, para lá se registar com Maria. Enquanto estavam nesta cidade, Maria teve o seu filho primogénito. Embrulhou-o em paninhos e deitou-o numa manjedoura pois não havia lugar para eles na hospedaria.”
Esqueça tudo isto. Aparentemente, o Evangelho de São Lucas está cheio de imprecisões e de interpretações erradas de factos, locais e datas.
O que o édito exigia era que todos participassem no censo com o objectivo principal de pagar impostos. Isto porque as despesas militares com as legiões romanas atingiam valores exorbitantes e César Augusto estava desesperado para resolver essas carências de fundos, destinadas a suportar as suas tropas espalhadas pelo mundo “habitado” (Dio Cassius, “História de Roma”).
Para equilibrar esse défice, Augusto “estabeleceu uma taxa de 5 por cento sobre heranças e legados deixados pelas pessoas que morriam, com excepção das muito pobres”. Mas como o dinheiro não chegava lançou mão de uma colecta obrigatória em todo o império, uma espécie de pagamento especial por conta.
Na verdade, não há nenhuma prova de que tivesse ocorrido um censo populacional em todo o Império Romano, pois de contrário teria havido registos históricos do acontecimento noutras partes desse vasto império. Em segundo lugar, Quirino não foi nomeado governador da Síria e da Judeia antes do ano 6 a. C.
Dúvidas deste tipo há às dezenas, mas o papa Bento XVI tornou-as desnecessárias ao escrever no seu livro “Jesus da Nazaré - A Infância de Jesus” que o salvador nasceu anos antes do que se pensava. O calendário cristão terá sido baseado num erro inicial de cálculo, declara o papa.
“O cálculo do início do nosso calendário, baseado no nascimento de Jesus, foi feito por um monge nascido na Europa do Leste”, afirma.
O “culpado” está assim encontrado. Tratou-se de um monge do século vi chamado Dionísio, o Pequeno, o responsável pela enorme trapalhada que o antigo cardeal Joseph Ratzinger vem agora esclarecer. “A verdadeira data do nascimento de Jesus foi vários anos anterior.”
As consequências deste pequeno esclarecimento serão doravante imprevisíveis e monumentais para cristãos e até não cristãos.
A afirmação de que o calendário está errado não é nova e tem sido defendida por historiadores de diferentes épocas. Alguns afirmam que Jesus nasceu algures entre os anos 7 a. C. e 2 d. C.
A data do nascimento de Cristo não é a única grande controvérsia criada pela obra do Papa. Bento XVI também escreveu que a tradicional cena do presépio, com um burro e uma vaca no estábulo, representando a Natividade, não se passou assim. Nem a terra de nascimento, nem a data, nem o bafo quente dos animais sobre o menino enregelado nas palhinhas deitado!
Para concluir, a noção de que Cristo teria nascido a 25 de Dezembro é falsa. A festa está apenas ligada ao solstício de Inverno e a celebrações pagãs. Lá se vai definitivamente o conceito da infalibilidade dos papas (dos que antecederam Bento XVI).
Afinal, o poeta Ary dos Santos tinha razão: “Natal é em Dezembro, mas em Maio pode ser/Natal é em Setembro/É quando um homem quiser...”

Fonte: http://www.ionline.pt/


E segundo informações já nesta segunda-feira um alinhamento planetário deve ocorrer na noite do dia 03 e 04 de dezembro. Este alinhamento acontece somente a cada 2.737 anos, mostra três pontos luminosos (que se parecem com estrelas) alinhadas exatamente sobre as três pirâmides do Egito.
Muito se fala do anúncio que o Calendário Maia se encerra em 21 de dezembro de 2012. Em realidade, neste dia, o Sol ingressa no signo de Capricórnio, dando início ao Solstício de Inverno no hemisfério Norte e no de Verão no Hemisfério Sul, e esse é um fato que acontece todos os anos. 
Confira abaixo informação sobre o fenômeno.

Alinhamento planetário com as Pirâmides do Egito em 03 de Dezembro de 2012


Alinhamentos planetários são sinais especiais do céu?

 Por Graziella Marraccini ● é astróloga, taróloga, cabalista e estudiosa de ciências ocultas e dirige a Sirius Astrology.
Esta imagem é apenas ilustrativa e não
corresponde à visão real do fenômeno.

Tem circulado na internet uma notícia sobre um alinhamento planetário que acontecerá na noite entre o dia 03 e 04 de dezembro próximo, e isso levou meu amigo Sergio do STUM a me enviar um e-mail, pedindo-me que refletisse sobre esse fato e escrevesse um artigo. Confesso que, antes de escrever um artigo sobre um assunto determinado, eu preciso me sentir muito segura e isso me levou a estudar e refletir sobre esse assunto durante alguns dias. Uma linda foto que me foi enviada e que anuncia este alinhamento como um fato que acontece somente a cada 2.737 anos, mostra três pontos luminosos (que se parecem com estrelas) alinhadas exatamente sobre as três pirâmides do Egito. Essa foto é claramente uma montagem, pois o fato descrito ainda não aconteceu e 2.737 anos atrás não existiam câmeras fotográficas. Mas vamos às minhas observações astrológicas…




Procurei nos programas de cálculos astrológicos que eu possuo se eu podia encontrar esse alinhamento. Cheguei a uma conclusão: sim, o alinhamento vai acontecer, mas não se trata realmente de um alinhamento. Vou tentar explicar esse fato, desmitificando o lado esotérico, mas confirmando o fato o astrológico. Muito se fala do anúncio que o Calendário Maia se encerra em 21 de dezembro de 2012. Em realidade, neste dia, o Sol ingressa no signo de Capricórnio, dando início ao Solstício de Inverno no hemisfério Norte e no de Verão no Hemisfério Sul, e esse é um fato que acontece todos os anos. Por esta razão, perscrutei o céu procurando outros indícios do anunciado “Fim do Mundo”! Afinal, os alinhamentos planetários são bastante comuns e nem sempre eles anunciam coisas terríveis. Por exemplo, os astrólogos afirmam que até mesmo o anúncio do nascimento do Messias, que é atribuído a um cometa, era na realidade o alinhamento de Júpiter e Saturno que aconteceu quatro anos antes do ano do nascimento do Cristo. Além disso, quando falamos de alinhamento planetário em astrologia, consideramos que devem existir alguns planetas (pelo menos três) que se encontram no mesmo signo e no mesmo grau no céu e sempre com a visão trópica, ou seja a partir do observador situado na Terra. Este não é o caso para o evento do dia 03 de dezembro, pois os planetas alinhados não se encontram no mesmo grau de Escorpião.

De fato, exatamente na noite entre o dia 03 e 04 de dezembro de 2012, encontramos três planetas no signo de Escorpião: Mercúrio a 22° de Escorpião; Vênus a 15° de Escorpião e Saturno a 7° de Escorpião, ou seja, cada um deles se encontrará a aproximadamente 7° de distância um do outro, quase como se eles estivessem ‘de mãos dadas’, um ao lado do outro! Portanto, a partir do observador da Terra realmente eles parecerão alinhados, lado a lado. Mas existe outro fator interessante: Mercúrio estará a 16° de declinação Sul, Vênus a 15° de declinação Sul e Saturno a 11° de declinação Sul e Netuno também estará a 11° de declinação Sul. Este, sim, pode ser considerado um alinhamento, apesar de Netuno não aparecer na primeira configuração por se encontrar no signo de Peixes, sem aspectos com os outros três e sendo ele invisível a olho nu, não poderíamos enxergá-lo nem se quiséssemos. Mas o que é declinação?

Imaginemos o Equador celeste como uma projeção do Equador terrestre sobre a abóbada celeste, onde os antigos imaginavam que fossem ‘coladas’ todas as estrelas e planetas. A declinação indica em que grau (ou altura) se encontram os planetas em relação a esse Equador Celeste. Se considerarmos que o Equador Terrestre passa bem abaixo de Gizá, onde se encontram as pirâmides, e acrescentarmos os 15°, chegaremos aproximadamente onde se encontram as pirâmides. E elevando os olhos acima das pirâmides poderíamos, então, enxergar esses três planetas alinhados. E espero que os astrólogos de plantão não me critiquem muito, pois é possível que esta explicação não seja muito astronômica. O fato pode ter uma interpretação esotérica? Pode ser que sim.

Porém, há um fato que me intriga. Ao levantar o mapa do dia 03 de dezembro, para um horário onde as estrelas seriam visíveis e para a cidade de Gizá, (calculei quase à meia-noite) a Lua estaria se elevando no horizonte Leste, mas os três planetas em questão não seriam visíveis, pois estariam abaixo da linha do horizonte, e somente Júpiter estaria elevado, bem no meio do céu, em Gêmeos. Então, levantei o mapa para o dia 04 de dezembro pouco antes do nascer do Sol, ou seja, por volta das 06h00 da manhã. Deste jeito, o signo Ascendente estaria em Sagitário, signo onde se encontra o Sol, e numa declinação a 20° Sul. Deste jeito, os três planetas, Mercúrio, Vênus e Saturno estariam se levantando no horizonte, poucos graus acima e neste caso poderiam ser vistos hipoteticamente sobre as pirâmides de Gizá. Certamente, o espetáculo será deslumbrante! Mas esse seria um recado do céu? Qual?

Mercúrio, o planeta da comunicação, alinha-se a Vênus, o planeta do Amor e a Saturno, o Senhor do Carma, todos no signo de Escorpião, que corresponde à Casa VIII do zodíaco, ou seja, à casa da Morte, do Sexo, do Poder, mas também do Espírito, da Transformação e da Transmutação, e acima de tudo do Renascimento! O Céu nos comunica que é chegado o tempo de mudarmos nossa postura para que, em uníssono, vibrarmos os mantras que irão promover uma mudança de frequência em nosso planeta, pois somente o Amor pode ajudar a humanidade neste momento de evolução carmática!


Podemos concluir que é este o sinal que o céu nos envia? Como astróloga e habituada a interpretar os hieróglifos do céu, não posso afirmar com certeza, somente fazer conjecturas, reflexões, considerações. O que eu percebo claramente é que nosso planeta está mudando de vibração e que essa mudança promoverá uma mutação em cada átomo ou partícula que compõe o nosso corpo físico. Se desejarmos ser proativos e, portanto, começar a agir, no lugar de sermos somente observadores e interpretes dos fenômenos celestes, podemos começar a nos alinhar com a Consciência Crística, pois, como o Cristo nos ensina em suas Cartas, essa é a única forma de expandirmos nosso espírito em união com a Mente de Deus. Com Ele podemos criar uma Nova Realidade para o planeta Terra. Sim, podemos! Meditemos todos os dias, alguns minutos, como nos ensinam as Cartas de Cristo que o Sergio comentou com tanto carinho nos Boletins do STUM. Somente assim, os recados do céu não serão somente fenômenos astronômicos! A humanidade está despertando nesta Era de Aquário que mostra sua Luz e levanta o véu para nos libertar da ignorância e da escravidão deste mundo materialista.

Fonte: http://anjodeluz.org/?p=366

SUGESTÃO: http://www.slideshare.net/rosizatta/depois-de-dezembro-15171078#btnNext