quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Prudentópolis(PR) registra novo agroglifo



Foto: Ufo
Desde 2008 o mistério dos agroglifos, sinais nas plantações ocorre no Brasil, aqui no Oeste de SC, em Ipuaçu. Desde então se repete a cada ano com formas complexas e cada vez mais interrogativas. Como o fenômeno que é conhecido principalmente na Inglaterra, onde ocorre há mais de quatro décadas, no Brasil vem se repetindo gradativamente a cada ano. Oito anos consecutivos em Ipuaçu e desde o ano passado o município paranaense de Prudentópolis também registra o fenômeno, bem antes ainda em setembro, na fase em que o trigo está verde, iniciando a fase de amadurecimento. O fenômeno é estudado meticulosamente pela ufologia e seus desdobramentos indicam que as inteligências não terrestres que deixam essas marcas ou sinais querem nos dizer algo importante. Poderia ser alho como: "Povo da Terra vocês não estão sós". Independente de crenças ou pensamentos sobre a autoria o fato é que as marcas são gigantescas e surgem repentinamente sem indícios da mão humana.
Foto: Ufo

Confira abaixo matéria de A. J. Gevaerd, editor da revista UFO, que esteve em Prudentópolis/PR

Na tarde do dia 27 de setembro a Revista UFO recebeu e-mail de Rodolfo Schier informando o surgimento de um possível agroglifo na cidade de Prudentópolis, a 200 quilômetros de Curitiba. Em seguida foi recebido também um vídeo pela publicação, enviado pelo senhor Tito Santini, daquela cidade, também mostrando o possível agroglifo. Santini é proprietário da chácara onde o fenômeno se manifestou no ano passado, no dia 06 de outubro, igualmente investigado pela Revista UFO.
Foto: Ufo
Uma análise inicial nas fotos e vídeo recebidos levou à forte suspeita de que o agroglifo fosse verdadeiro, mas isso, é claro, só pode ser avaliado com uma investigação de campo “in loco”, que foi o que fizeram ontem, 28 de setembro, o editor da Revista UFO A. J. Gevaerd e o coeditor Toni Inajar Kurowski. Gevaerd pesquisa os agroglifos há 20 anos, no Brasil e Europa, e acompanhou todas as manifestações do fenômeno no Brasil desde 2008. Kurowski é perito criminal da Polícia Civil no Paraná e vem se especializando na análise das figuras.
Ontem, 28 de setembro, Gevaerd e Kurowski chegaram a Prudentópolis por volta das 10h00 e às 10h30 já estavam na Fazenda Estrela, de propriedade do senhor Éder Renato Rickli, onde estava o agroglifo. Não havia ninguém ali naquele momento. O local está localizado a 6 ou 7 quilômetros do centro da cidade. Para se alcançar o ponto exato, trafega-se pela Linha Esperança, pavimentada, e em seguida pela Linha Galícia, de chão batido. A propriedade fica às margens desta linha e o agroglifo estava a cerca de 200 metros da estrada, parcialmente visível a partir dela.
Foto: Ufo
INVESTIGAÇÃO DE CAMPO
A investigação de campo feita por Gevaerd e Kurowski consistiu em entrar na figura e examinar todos os seus elementos, analisando as características do fenômeno e tentando determinar sua natureza. De imediato se observou que muitos dos padrões encontrados em agroglifos ao longo dos últimos 8 anos no Brasil e nos últimos 40 anos em todo o mundo, considerados legítimos, estavam igual e inequivocamente presentes na figura de Prudentópolis. Também foram colhidas amostras de plantas e de solo, tanto de dentro quanto de fora do agroglifo. Estas serão examinadas em seguida.
Toni e Gevaerd - Foto: Ufo
Procedeu-se à medição de cada um dos elementos que compõem a figura, que são: um anel externo de um metro de largura por 64 metros de diâmetro, dentro do qual havia, ali circunscrito, um segundo anel menor e, dentro deste, uma figura que lembra uma flor com seis “pétalas”. Eram elementos alongados de cerca de 20 m de comprimento cada. Todas as pétalas estavam perfeitamente alinhadas com o seu centro, causando uma impressionante vista. O conjunto do agroglifo é exuberante.
Foto: Revista Ufo
Ainda interseccionando o anel externo encontrou-se, em posições simétricas, dois círculos de 8 metros de diâmetro, cada na área ao sul da figura, e um anel de 12,5 metros de diâmetro, na área norte. O agroglifo, por sinal, tinha orientação sul-norte. Neste ponto é bom que se diga que entendemos por “anel” uma circunferência de plantas dobradas, sem que as de seu interior também estejam. E por “círculo” consideramos uma circunferência de plantas dobradas, inclusive com as plantas de seu interior.
Mais no site da revista ufo
http://ufo.com.br/noticias/possivel-agroglifo-em-prudentopolis-pode-ter-iniciado-a-temporada-deste-ano-do-fenomeno