sábado, 5 de novembro de 2016

Fenômeno dos agroglifos se repete em Ipuaçu

 Nas primeiras horas deste sábado, 05/11/2016, fomos informados do surgimento de um agroglifo em Ipuaçu. A localização fica nas proximidades da Coamo, em terras onde houve registro de agroglifo em 2009, quando o trigo estava completamente verde, na época o formato de uma ponta de flecha, e também dos dois agroglifos em 2014, um foi também destruído por ordem do proprietário, mas no outro extremo da lavoura havia mais uma formação localizada durante o dia.
No agroglifo de hoje, verificamos que tem em torno de 60 metros de distância de uma extremidade a outra. No que restou da imagem, porque foi utilizado equipamento para destruir a formação, restou um círculo externo contornando um triângulo gigante, mas em seu interior deveria haver outra imagem, talvez em forma de um olho, algo assim, pois alguns vestígios indicavam essa formação.
Reprodução Margot Produções Chapecó

CLIQUE NA IMAGEM AO LADO E CONFIRA A VISÃO AÉREA DO AGROGLIFO. Crédito: Margot Produções Chapecó

O agroglifo, apesar de ter sido quase que totalmente destruído não deixa dúvidas de sua autenticidade. Podemos afirmar devido à disposição das plantas que permaneceram rente ao solo,  indicando que estavam acamadas e dispostas em vários sentidos criando junções entre si. Algumas paredes laterais também não foram agredidas pelo equipamento agrícola e indicam que a energia que atuou no local não feriu em hipótese alguma a planta.
Em resumo, a destruição ocorre pela falta de conhecimento de um assunto sério e que merece mais pesquisa por parte de professores que atuam nos meios agrícolas, além de engenheiros que trabalham com medidas exatas, matemáticos, geólogos, enfim diversas áreas que poderiam contribuir com a busca pelas respostas, de um assunto que desde 2008 se repete em Ipuaçu. Da forma como surgem, sem constatação da presença de pessoas no local, e com alguns relatos de avistamento de luzes  dias antes e na noite em que ocorre o fenômeno, sempre há alguém que relata essas informações.
Dúvidas persistem, mas neste período do ano os moradores de Ipuaçu e cidades próximas estão mais atentas para detectar algo diferente, avistar alguma nave ou luz que se movimenta de forma estranha nos céus e por mais indiferente que possa parecer, a comunidade de Ipuaçu não sabe o que dizer diante do fenômeno. Muitos levam na brincadeira e dizem ser de autoria de alguém. Mas esse alguém, não aparece.
O que podemos destacar que o agroglifo é sim criado por algum tipo de energia que desconhecemos, não há toque de algum material mecânico que danifica as plantas. Algumas ainda estavam intocadas, vestígios indicavam que foram acamadas rente ao solo e sem ter seu caule quebrado.
O trigo ainda está em fase de amadurecimento e se não houvesse essa condição de destruição feito por máquinas prosseguiria seu ciclo podendo ser colhido, são informações do que ocorre também na Inglaterra há mais de 4 décadas.
Os agroglifos tem sido mistério a ser desvendado em todo o mundo, mais recentemente desde  ano passado surgem também em Prudentópolis-PR, a 300km de Ipuaçu com detalhes que marcam e comprovam sua autenticidade.
As mensagens transmitidas através dessas formações nos remetem a acreditar que foram sim feitas por inteligências de povos que habitam algum local do universo e com equipamentos muito mais avançados dos quais dispomos na Terra, e completamente desconhecidos por nós. Fala-se muito em microondas pois são invisíveis e quando se constata a marca está nos trigais.
Nos próximos dias serão divulgadas informações sobre a análise realizada no trigo colhido no ano passado que indica diferenças dos que foram coletados no interior do agroglifo e na parte externa.

Sempre nesse período mostram alguns autores usando suas cordas e pedaços de pau ensinando como criar um agroglifo.